Natal – nova casa!

Já é novembro. Mês passado cumprimos o nosso dever de votar. E votamos pensando na comunidade em irmãs e irmãos: votamos em pessoas que podem trabalhar repensar a cidade: suas favelas, seu transporte coletivo, sua saúde, suas escolas …. Agora é hora de pensarmos o natal. É o nascimento do Filho, enviado pelo Pai, com as bênçãos do Espírito Santo. Deus comunitário, Deus amoroso, o Deus que quer: nós vivendo o céu aqui na terra. Então, o natal é um momento de profunda seriedade de mudança de vida para nós. Mas o comércio, as lojas, os shoppings se encarregam de colorir o natal como se fora uma época só de vendas, só de livro, sem orações, sem reflexões e sem ……..  clique aqui é leia +

cuidado com os mais pobres, com os mais simples, com os que estão sofrendo muito. Para aquelas e aqueles em que há descobertas de novos caminhos, de verdadeira felicidade que inclui amor ao próximo e à próxima (não só de nossa família), há encontro, há sentido profundo do Natal, nascimento de Jesus, nosso libertador. Nossa oração maior é que possamos na mudança de vida (conversão) mostrar que podemos ser fermentos na massa, sal para temperar a comunidade. Que Deus nos ajude a amar muito os irmãos, as irmãs, o planeta, as aves, as árvores, os bichos, para que, neste final de 2012, possa haver uma marca no mundo: retomada do caminho que nos leva à casa do Pai. Os sinos de dezembro bimbalharão no Natal – e sorriremos com nova vida. Planeta renovado! É a nossa nova casa!
Por: Geraldo Faria Campos (Professor aposentado da UFG).

História de uma garota que estava preste a suicidar !

“Certa vez nós estávamos fazendo um programa de TV. Voltamos embora para casa como de costume, a caixa de e-mails estava lotada e um destes e-mails chamou nossa atenção  Era um e-mail de uma garota que tava em casa “zapeando” (trocando) os canais da TV procurando alguma coisa pra assistir, enquanto ela esperava que os pais dela fossem dormir para ela tomar um vidro de remédios e se matar. Ai entre um canal e outro, ela caiu num canal que a gente estava tocando o seguinte refrão: “Hoje muitos choram mas não desistem de viver”. Ela parou e refletiu e desistiu de suicidar! Escute a música que “salvou” a garota”.(Vocalista Rosa de Saron). Clique abaixo para escutar a música que à salvou!



As tempestades da vida podem ser acalmadas?


Quem nunca viveu ou passou por uma grande tempestade? Acredito que todos, menos aqueles que não nasceram ainda. Sabemos o quanto elas por onde passam causam grandes estragos derrubam casas, afunda navios, inundam residências, destroem cidades, enfim, provocam muitas mortes. E em nossas vidas? Já passamos por “tempestades”? Acredito também que sim! Mas a grande questão é a seguinte: Como sobrevivemos a elas? Com calma ou agitação? Sábios são os ensinamentos dados por Jesus no Evangelho de Marcos de como superar tempestades mortais com serenidade. Relata esse Evangelho que   ………..
Jesus estava dentro de uma barca em alto mar (lago de Genesaré) “dormindo na popa sobre um travesseiro” (Mc 4,30) junto com seus discípulos. Em determinado momento dessa navegação, “levantou-se um vento (tempestade), as ondas se arremessavam contra a barca, que estava a ponto de afundar e mata-los (Mc 4,37). Pelos estudos que nós teólogos realizamos acerca da Sagrada Escritura, sabemos que a grande maioria dos discípulos de Jesus era pescadores especialistas, acostumados as mais diversas bravuras do mar, diferentes de nós que não temos tais experiências. Mas, o Evangelho relata ainda que eles ficaram apavorados com tal tempestade, a ponto de acordar Jesus que estava dormindo tranquilamente: “ – Mestre, não te importa que naufraguemos?” (Mc 4,38). Imediatamente, Jesus que estava deitado, levantou-se (posição de “luta”, de prontidão pra vida) e com atitude de quem sabe enfrentar tempestades sem apavoramento, ordenou ao mar: “ – Cala-te, emudece!”. Conta Marcos que:  “o vento cessou e sobreveio uma calmaria perfeita” (Mc 4,39).  Ainda diz o mesmo evangelista, Jesus exortou seus discípulos acerca de: suas covardias, medos e de como eles encararam de maneira imperfeita àquela tempestade, totalmente intranquilos  Assim, através do magnífico relato do Evangelista Marcos, aprendemos com Jesus mais um ensinamento, que é enfrentar tais tempestades rotineiras em nossas vidas com tranqüilidade. Vimos dois exemplos, formas diferentes, uma dos discípulos (medo, angustia, pavor) e a outra de Jesus (prontidão, coragem e autoridade). Fica o questionamento para mim e pra você leitor, qual é o método que estamos encarando as tempestades diárias que ocorrem em nossas vidas? Com apavoramento (discípulos) ou com serenidade (Jesus)?
Por: Venerio W. 

"Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo" (Henry Ford).

“Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo” (Henry Ford). Vamos Refletir tal frase?    *:* Se você pensa que não pode, você está certo porque o fato de você pensar que não pode concretizar algo o impedirá de alcançá-lo. Ou seja, você será desestimulado pela sua própria crença. Logo: sua liberdade, tomada de decisão, será o Azimute, ou seja, a Direção que você percorrerá na vida, seja ela boa ou ruim!    Por: Wander Venerio

Simplicidade de Jesus

É o mesmo sermão do padre, hoje apelidado de homília … Jesus e o leproso. Curou-o e mandou que ele se apresentasse ao sacerdote para ser incluído na cidade no meio das gentes. E o padre diz: certamente Jesus o abraçou, porque Ele era muito carinhoso com os doentes. Chico de Assis, o Xavier, a Calcutá e milhões de mulheres e homens simples teriam feito o mesmo gesto. Não é uma lindura do ser humano, ser amável, ser cordial? Então porque aceitamos a pregação de uma certa mídia (Tv, jornal …) que informa e publica só sobre a bandidagem, criminalidade no planeta? Se nós lutarmos por uma escola mais ligada às comunidades, por uma professora e professor melhor cuidamos por nós, se nos debates sobre a família nós incluíssemos o próximo e a próxima e não ficássemos só na família de sangue, se lutássemos pelo diálogo em todos os seguimentos da cidade e do campo, dos bairros, das vilas – a cordialidade, o carinho e o bem-viver viriam mais rápido para todos nós. É hora de cada um de nós se por a pensar: Jesus faça de mim, homem ou mulher, uma pessoa melhor amanhã, amém. Assim seja.
Por: Geraldo Faria Campos (Professor aposentado da UFG /GO)