Adolescentes fanáticos por TV e videogame são mais distantes da família

WASHINGTON (AFP) – Quanto mais tempo os adolescentes passam vendo televisão ou brincando no videogame ou computador, mais distantes ficam de suas famílias ou amigos, revela um estudo. E com a tecnologia permitindo que as telas façam tudo, de entretenimento a educação, a descoberta pode gerar preocupação, indicaram os autores do estudo na Archives of Pediatric and Adolescent Medicine. O estudo analisou dois grupos de adolescentes na Nova Zelândia, com 16 anos de distância. O primeiro grupo, de    …….

976 adolescentes, passou um dia em uma unidade de pesquisas quando tinham 15 anos, em 1987 ou 1988, para ver quanto tempo passavam vendo televisão em um dia escolar e sua relação com seus pais e amigos. O segundo grupo, de mais de 3 mil jovens que fizeram 14 ou 15 anos em 2004, foi estudado quando havia mais videogames ou jogos de computadores disponíveis para os jovens, ainda que não tantos como atualmente.
O grupo preencheu questionários em suas escolas para estudar quanto tempo passavam vendo televisão, DVDs ou vídeos; por quanto tempo usavam um computador para algo que não fosse deveres de casa; e quanto tempo passavam com jogos em computadores ou videogames como XBox, Playstation ou Nintendo.
Também foi perguntado ao segundo grupo quanto tempo passavam lendo ou realizando tarefas escolares e quão próximos eram seus amigos e família. As comparações foram feitas com o mesmo questionário utilizado 16 anos antes.
No primeiro grupo, que via apenas televisão, os pesquisadores descobriram que, por cada hora adicional que passavam assistindo TV, “havia 13% de aumento no risco de terem um baixo apego aos pais e um aumento de 24% de baixo apego aos amigos”.
Os resultados foram semelhantes 16 anos depois, mas apenas com relação aos pais. Para cada hora extra passada vendo televisão ou jogando em computadores ou videogames, havia 5% mais probabilidade de que os adolescentes tivessem uma relação mais distante com os pais.
Os pesquisadores também descobriram que os adolescentes que passavam mais tempo lendo ou realizando deveres de casa eram mais próximos aos seus pais.
“Considerando a importância do afeto dos pais e amigos para a saúde e o desenvolvimento dos adolescentes, há a preocupação sobre os altos níveis de tempo que eles passam em frente à tela”, indicaram os pesquisadores.
“Com o rápido avanço das opções de telas para o entretenimento, comunicação e educação, são necessários estudos em curso para monitorar o efeito que estas tecnologias têm no desenvolvimento social e psicológico e no bem-estar físico entre os adolescentes”, acrescentou.

Fonte:www.catolicismoromano.com.br
Anúncios

Assine a Petição pela graça de um Ano Mariano a começar em 2012

Súplica ao Santo Padre, o Papa Bento XVI, pela graça de um Ano Mariano em 2012-2013, recordando os 25 anos do último ano mariano proclamado pelo Servo de Deus o Papa João Paulo II e comemorando os 300 anos do “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem” de São Luis Maria Montfort.

Insira os seus dados abaixo e rezemos uma Ave-maria

A Sua Santidade Papa Bento XVI


Beatissime Pater,
No desejo de contribuir com a santificação dos cristãos e com a Nova Evangelização, vimos suplicar a Vossa Santidade a graça da proclamação de um Ano Mariano em 2012-2013.

Sugerimos esta data por ela marcar os 25 anos do último Ano Mariano proclamado pelo Servo de Deus João Paulo II e por comemorar os 300 anos do Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, de São Luis Maria Montfort, obra tão amada e recomendada pelo próprio Servo de Deus João Paulo II.

Somos testemunhas dos frutos de graça e santidade que a proclamação do Ano Sacerdotal, feita por Vossa Santidade, fez brotar para a Igreja do mundo inteiro. Por esta razão, sugerimos humildemente que um Ano Mariano poderia ser uma grande oportunidade para reavivar a Devoção a Toda Santa Mãe de Deus no coração dos fiéis e propagar a prática da “Consagração Total a Jesus por Maria”, como é ensinado pelo próprio São Luis, e como o Servo de Deus João Paulo II viveu e testemunhou.

Voltamo-nos a Vossa Santidade, com confiança, exercendo o que pensamos ser o nosso deve de manifestar aos nossos Sagrados Pastores os nossos anseios e necessidades espirituais (cf. cân. 212).

Aproveitamos a ocasião para manifestar a Vossa Santidade nossa mais completa fidelidade e devoção filial.

Cura interior oferece meios para sarar feridas espirituais

 
O ser humano pode ser ferido não somente no corpo, mas também na alma. A saída para sarar esse tipo de “trauma espiritual” passa por um processo conhecido como cura interior. “A cura interior é necessária para os relacionamentos desordenados. É quando a pessoa não se sente bem consigo mesma, uma espécie de desconforto interior, que não se sabe explicar o que é nem de onde vem”, explica o fundador da Comunidade Emanuel e monge beneditino, Dom Cipriano Chagas. Segundo ele, os    ……..
principais acontecimentos que exigem esse acompanhamento estão ligados à infância, ao ventre materno, a uma adolescência desregulada, bem como à educação familiar e referência nos lares.

E não é somente a intervenção divina que conta. A participação humana é fundamental. “É preciso querer ser curado. Se não for assim, não adianta nada”, destaca Dom Cipriano.
O monge ressalta que é necessário aliar a cura interior com um acompanhamento médico/psicológico sempre que a ajuda do profissional da saúde se mostrar necessária. “Se houver a constatação clínica, através de exame, dessa necessidade, é preciso fazê-lo. A oração então vai influir na cura das experiências”, afirma.
Apesar de ser a prática mais difundida, a cura interior não precisa ter sempre como base a oração de outra pessoa. O próprio indivíduo pode rezar por si mesmo. “No entanto, na maioria dos casos, mostra-se necessário a oração de outras pessoas, porque o homem, muitas vezes, não consegue ver sozinho diversos aspectos da própria história”.

Por fim, Dom Cipriano ensina:
“É necessário abrir-se ao Espírito Santo, apresentar a Ele todos os cantos de nossa vida. Ele é muito respeitoso de nossa liberdade. Se não queremos, Ele não violenta nada. Ele pode ir nos seduzindo, e nós vamos nos abrindo cada vez mais à cura. É Ele quem sempre toma a iniciativa: sentir-se mal, na maioria das vezes, é iluminação do próprio Espírito Santo. Ele ilumina nosso interior, para que vejamos nossas necessidades e queiramos mudar. A própria vontade de mudar é o Espírito que dá, sem violentar-nos”.

O que é?

De acordo com o livro A Cura de nossa afetividade e sexualidade, publicado pela Editora Canção Nova e com vários autores membros da comunidade Católica, a cura interior é “a restauração de nossa personalidade, a chave para a cura plena de uma pessoa. Cada dia é um dia de surpresas que o Senhor nos reserva para colher d’Ele mesmo o caminho de cura que necessitamos trilhar. Podemos confiar e nos abrir sem medo à ação do Espírito Santo, pois Ele trabalha para o nosso bem e nosso crescimento. Todos nós temos uma história e ela é o caminho para nos conhecermos melhor e trilharmos um rumo, tanto de cura como de crescimento, em nossas vidas”.

A publicação oferece um passo a passo para quem deseja percorrer esse caminho:


1 – Coloque-se de maneira simples diante do Senhor;
2 – Peça ao Espírito Santo que revele as feridas que Ele deseja curar;
3 – Em nome de Jesus e diante d’Ele, ministre sobre si mesmo a aceitação deste fato do seu passado ou presente e, num ato de fé, creia que o Senhor reverterá isso em um grande bem para você e para os outros;
4 – Apresente a Jesus a área ferida, traumatizada, marcada;
5 – Ore em línguas ministrando a cura do Senhor, o quanto a inspiração o mover. Neste instante, abra-se ao Espírito Santo, pois, o Senhor pode revelar palavras de ciência, de sabedoria e de profecia sobre essa situação;
6 – Agradeça a Deus por esta área ferida, na certeza do grande bem que está sendo gerado;
7 – Não se esqueça de que a cura interior é um processo que ocorre das mais variadas formas e que esta oração pode, de acordo com a inspiração, ser feita em repetidas oportunidades. Entretanto, em cada uma delas, precisamos crer no poder de Jesus, que se manifesta concretamente em nós.

Por: Leonardo Meira da Redação
Fonte:http://noticias.cancaonova.com

Minha vida tem sentido?

Padre Zezinho compôs uma música religiosa muito bonita, nela tem a seguinte frase: Minha vida tem sentido …. Toda vez que a escuto fico pensando e refletindo: O que faz a vida ter sentido? Qual é o sentido que estou dando para a minha vida? A vida é minha ou de outrem? O que é realmente viver? Por que sofro influência de outros sentidos? Será que o sentido que estou dando para a minha vida é realmente o correto? Minha vida tem realmente sentido? Caros irmãos blogueiros e internautas, meditemos a cada dia, a cada hora, a cada minuto, a cada segundo o sentido que você está dando para sua vida, pois, vida, temos apenas uma.
Por fim, quem dá sentido para a minha vida sou eu, porém, também sou eu o responsável por tudo o que nela ocorre. Não vivamos de muletas ou de desculpas esfarrapadas, culpando outros (as) pelas misérias e intempéries de nossa liberdade. Sejamos autênticos, livres, mas responsáveis por tudo àquilo que fazemos, pois, somente assim, a nossa vida terá sentido.
Por: Wander Venerio C. de Freitas

Faculdade São Bento do RJ abre inscrições em curso de pós-graduação em Teologia Bíblica

A Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro está com inscrições abertas para o curso de pós-graduação lato sensu em Teologia Bíblica. O curso intensivo de especialização será realizado nos meses de férias, em julho de 2011 e janeiro de 2012, e as vagas são limitadas. Para ingressar no curso, o candidato deve ser portador de diploma de qualquer curso superior reconhecido pelo Ministério da Educação. Para garantir sua presença, encaminhe o formulário de pré-inscrição disponível no site   . . . .  . . .

http://www.faculdadesaobento.org.br onde também podem ser conferidos os horários, as disciplinas e o corpo docente. Informações adicionais podem ser solicitadas pelos telefones (21) 2206-8310 ou (21) 2206-8281.  As aulas do próximo módulo terão início no dia 4 de julho de 2011.

Padre Marcelo estará hoje fazendo dedicatória do Livro Ágape no Pantanal Shopping em Cuibá (MT)

Hoje,18 de maio, o padre Marcelo Rossi estará das 11:00 hs às 22:00 hs realizando a dedicatória do Livro Ágape no Pantanal Shopping e Livraria Janina em Cuiabá ( MT ). Aguardamos sua visita!

Avenida Historiador Rubens de Mendonça, nº. 3.300 – Jardim Aclimação
Cuiabá – Mato Grosso

Próximo:

Tribunal Regional do Trabalho ( Fica em Frente )
Secretária da Fazenda ( Fica em Frente )
Defensoria Pública
Avenida Dr. Vicente Emílio Vuolo ( via paralela )
Avenida Historiador Rubens de Mendonça mais conhecida como Avenida do CPA

As qualidades de um líder cristão

Certa vez, meu bispo perguntou–me por que um determinado grupo de oração na diocese atraía tanta gente. Eu respondi que era porque ele tinha um programa bem planejado para o ano inteiro e também um notável coordenador, apoiado por um núcleo unido e cheio de dons. Um líder cristão deve ser,     . . . . .  . . . . . .
sobretudo, um homem ou uma mulher de visão, assim como toda a congregação religiosa começou com uma pessoa que teve a visão do que Deus queria que ele ou ela fizesse, e que depois atraiu as pessoas a trabalharem juntas para implementarem essa mesma visão, que depois foi realizada por intermédio de uma variedade de obras e de instituições. Infelizmente, tem acontecido hoje que só as obras e as instituições permaneceram, enquanto o espírito da comunidade foi se enfraquecendo gradualmente e aquela visão do início se tornou há muito tempo uma relíquia do passado.
Um líder precisa ter, obviamente, o poder de liderar, de atrair outros para acompanhá–lo, tanto pelo que diz e faz como pelo que ele é, como os fundadores de nossas congregações religiosas. Mas, isso por si só não é o suficiente, porque o poder pode corromper e um líder pode tornar–se como nossos ditadores modernos ou chefes de seitas, que levam os seus seguidores à destruição em massa e até mesmo ao suicídio em massa. Mas, um líder deve ter também a humildade de um seguidor, suficientemente gentil para reunir pessoas ao redor dele, fazendo–as sentir seu valor e motivando–as a trabalhar juntas, delegando–lhes seu poder.
Isso é bem diferente de muitos grupos cristãos que continuam se multiplicando feito cogumelos, por causa de uma luta interior de poder e da falta de coerência interior. Acima de tudo, um líder precisa ser uma pessoa de visão e de discernimento, que não apenas tem seus “seguidores” atrás dele e com ele, mas que também os conduza confiante e alegremente para o que está à frente dele: o Reino de Deus e Sua Glória, pois “por falta de visão o povo vive sem freios” (Prov 29,18).
Portanto, o que torna autêntica a visão de um líder para o trabalho de seu grupo de oração ou de seu ministério para a liderança de seu núcleo e para ele mesmo em sua posição como líder principal é o carisma de discernimento. Este é um dom do Espírito Santo pelo qual a pessoa tem a capacidade de discernir se as mensagens e as visões, as decisões e as ações que afetam o trabalho do grupo ou do ministério, e as vidas pessoais de seus membros, estão de acordo com a vontade de Deus, embora pareçam muito santas e religiosas. É preciso se questionar: São verdadeiramente inspiradas pelo Espírito Santo ou são resultados de preconceitos pessoais, gostos ou desprezos, trazendo à tona o que é apenas do espírito humano, ou até da influência do espírito malígno sob o disfarce de um anjo de luz? O próprio apóstolo Paulo não se surpreendeu que mesmo satanás coloque a máscara de um anjo de luz (cf. II Cor 11, 14).
Para se abrir ao carisma do discernimento e para crescer nele, o líder deve ser um homem ou uma mulher da Palavra. Como o Mestre, a Palavra feito carne, o líder deve de certa forma encarnar a Palavra de Deus em seus ensinamentos e decisões, pois, talvez a única Bíblia que muitos lerão ou ouvirão seja a “Bíblia aberta” que eles veem nele. Como líderes devemos nos comprometer em ler a Sagrada Escritura diariamente e, como a Santíssima Virgem Maria, guardá–la, meditá-la e deixá–la produzir frutos em nossa vida, tornando–nos sal da terra e luz no alqueire.
Por: Padre Rufus Pereira
Membro do Conselho Internacional da Renovação Carismática