Oração à São Francisco de Sales

Glorioso San Francisco de Sales,
vuestro nombre porta la dulzura del corazón mas afligido;
vuestras obras destilan la selecta miel de la piedad;
vuestra vida fue un continuo holocausto de amor perfecto
lleno del verdadero gusto por las cosas espirituales,
y del generoso abandono en la amorosa divina voluntad.
Enséñame la humildad interior,
la dulzura de nuestro exterior,
y la imitación de todas las virtudes que has sabido copiar
de los Corazones de Jesús y de María. Amén
 
 

Glorioso São Francisco de Sales,
  vosso nome carrega a doçura do coração mais aflito;
suas obras exalam a seleta piedade;
sua vida foi um sacrifício contínuo de amor perfeito
cheio de sabor real para as coisas espirituais,
abandono generoso e amoroso à vontade divina.
Ensina-me a humildade interior e a
doçura exterior
e a imitação de todas as virtudes que tens sábido imitar
dos Corações de Jesus e Maria. Amém
                                                             Tradução: Wander Venerio

Oração pela fidelidade de Deus e da Virgem Maria

 Obrigado Senhor meu Deus, criador do céu e da terra, autor de toda obra visível e invisível, Pai de misericórdia e rico de amor, bendito sejas Vós para sempre. Obrigado Senhor por mais uma vez por ser cumpridor das suas promessas, para beneficio nosso, seus indignos servos. Mãe Santíssima obrigado pela poderosa intercessão a Deus Pai. Meu coração inflama de tanta alegria e por ter um Deus tão bondoso e misericordioso que olha por todos seus filhos, independente da raça, cor, sexo ou condição social. Bendito seja Deus para sempre! Santíssima Virgem Maria rogai por nós que recorremos a vós, amém.
Por: Wander Venerio

1º MEGA BOSCO FOI UM SUCESSO!

Aconteceu hoje, 29 de janeiro de 2012 e com muito sucesso o 1º MEGA BOSCO, Encontro de Jovens, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Goiânia-Goiás. Contamos com a presença de aproximadamente 50 jovens, dentre outros. A coordenação do Evento, jutamente com pe. Pedro, paróco saleciano, ficaram felizes com o resultado. Façamos votos que no ano de 2012, se Deus quiser, possamos realizar o 2º MEGA BOSCO com muito mais alegria. São João Bosco rogai por nós!
Por: Wander V. C. de Freitas.

Tomás de Aquino, Santo

Presbítero y Doctor 
de la Iglesia

Martirologio Romano: Memoria de santo Tomás de Aquino, presbítero de la Orden de Predicadores y doctor de la Iglesia, que, dotado de gran inteligencia, con sus discursos y escritos comunicó a los demás una extraordinaria sabiduría. Llamado a participar en el Concilio Ecuménico II de Lyon por el papa beato Gregorio X, falleció durante el viaje en el monasterio de Fossanova, en el Lacio, el día siete de marzo, y muchos años después, en este día, sus restos fueron trasladados a Toulouse, en Francia (1274).

Presbítero e Doutor da Igreja

Martirológio Romano: Memória de Santo Tomás de Aquino, presbítero da Ordem dos Pregadores e Doutor da Igreja, que, dotado de grande inteligência, comunicou em seus discursos e escritos uma sabedoria extraordinária. Convidado a participar do
Concílio Ecumênico de Lyon II, pelo Papa Gregório X, beato, faleceu durante a viagem ao mosteiro Fossanova, em Lácio, em 7 de março, e muitos anos depois, neste dia, os seus restos mortais foram transferidos para Toulouse, na França (1274).

Tradução: Wander Venerio

Papa convida cristão a unir-se a redes sociais com responsabilidade

“Quero convidar os cristãos a unirem-se confiadamente e com criatividade consciente e responsável na rede de relações que a era digital tornou possível; e não simplesmente para satisfazer o desejo de estar presente, mas porque esta rede tornou-se parte integrante da vida humana” (Bento XVI).

Oração pedindo o Caminho

Senhor Jesus, Deus conosco, possa o Homem escolher a cada dia o caminho da verdade reveladora que leva a Ti. Não permita que as trevas nos ceguem, dê-nos muitas chances de voltar para Vós, não pela dor, mas pelo amor.  
Obrigado Senhor por cada dedo das mãos, pelos pés sadios que permite-me caminhar por vários lugares, inclusive para a Santa Igreja, local onde me é dado Vosso Santíssimo Corpo e Sangue presente na Eucaristia. Amém. Santíssima Mãe de Deus rogai por nós que recorremos a vós, amém.
Por: Wander Venerio C. de Freitas

João Paulo II encerra a polêmica com a Teologia da Libertação

Se você esteve atento aos POSTs dos últimos dias sobre a polêmica da Teologia da Libertação, percebeu que o grande debate aconteceu na década de 1980. Em 1984 foi publicada a primeira Instrução da Congregação para a Doutrina da Fé: Libertatis Nuntius. Em 1985 Leonardo Boff foi notifica por causa das afirmações contidas em seu livro IGREJA, CARISMA E PODER. Em 22 de março de 1986 a mesma congregação romana publica uma segunda instrução, mais positiva: Libertatis conscientia. O que não tem sido lembrado é que …..

poucos dias depois, no dia 9 de abril de 1986 o próprio Papa João Paulo II escreveu uma carta à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, encerrando a polêmica de modo equilibrado e positivo. É incrível que muitos teimem em esquecer esta importante carta do Magistério da Igreja sobre a Teologia da Libertação. Sugiro que você leia a íntegra no site do Vaticano:

http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/letters/1986/documents/hf_jp-ii_let_19860409_conf-episcopale-brasile_po.html

Registro aqui o trecho mais pertinente para o nosso estudo, com o grifo de uma frase célebre:

“Deus nosso Pai e Jesus Cristo nosso Senhor esperam, espera a Igreja no Brasil com seus presbíteros, seus religiosos e religiosas e pessoas consagradas, e seus leigos de todas as condições, espera, em certa medida, todo o povo brasileiro que cada um dos seus Bispos seja:
– convicto e convincente proclamador da Palavra de Deus e, por isso mesmo, educador na fé, servo e mestre da Verdade revelada, especialmente da verdade sobre Cristo, sobre a Igreja e sobre o homem;
– edificador da Comunidade eclesial e ao mesmo tempo sinal e princípio visível da continuada comunhão que deve ser a alma dessa Comunidade, sobretudo em meio a fermentos de divisão e perigos de ruptura, conflitos e ameaças de dilacerações;
– exemplo de verdadeira unidade com seus irmãos sacerdotes e com seus fiéis no seio da Igreja Particular; com seus irmãos Bispos no seio da Conferencia Episcopal e na Igreja Universal; com o Sucessor do Apóstolo Pedro e com seu ministério a serviço da catolicidade;
– “perfector” de seus sacerdotes e pessoas consagradas, pelo seu ensinamento e pelo testemunho da sua vida, e dispensador dos mistérios de santificação, através dos sacramentos, para todos os fiéis, sem discriminação;
– pastor e guia do povo a ele confiado, pêlos caminhos da vida e em meio às realidades deste mundo, rumo à Salvação;
– pai espiritual para todos, especialmente para os mais necessitados de orientação e ajuda, de defesa e protecção.

5. Tendo diante dos olhos essas indeclináveis exigências do seu serviço episcopal, os Senhores tem-se esforçado, sobretudo nos últimos anos, por encontrar respostas justas aos desafios acima referidos, sempre presentes, eles também, ao seu espírito. A Santa Sé não tem deixado de acompanhá-los nestes esforços, como faz com todas as Igrejas. Manifestação e prova da atenção com que compartilha esses esforços, são os numerosos documentos publicados ultimamente, entre os quais as duas recentes Instruções emanadas pela Congregação para a Doutrina da Fé, com a minha explícita aprovação: uma, sobre alguns aspectos da teologia da libertação ; outra, sobre a liberdade crista e a libertação . Estas últimas, endereçadas à Igreja Universal, tem, para o Brasil, uma inegável relevância pastoral.

Na medida em que se empenha por encontrar aquelas respostas justas – penetradas de compreensão para com a rica experiência da Igreja neste País, tão eficazes e construtivas quanto possível e ao mesmo tempo consonantes e coerentes com os ensinamentos do Evangelho, da Tradição viva e do perene Magistério da Igreja – estamos convencidos, nós e os Senhores, de que a teologia da libertação é não só oportuna mas útil e necessária. Ela deve constituir uma nova etapa – em estreita conexão com as anteriores – daquela reflexão teológica iniciada com a Tradição apostólica e continuada com os grandes Padres e Doutores, com o Magistério ordinário e extraordinário e, na época mais recente, com o rico património da Doutrina Social da Igreja, expressa em documentos que vão da Rerum Novarum à Laborem Exercens.
Penso que, neste campo, a Igreja no Brasil possa desempenhar um papel importante e delicado ao mesmo tempo: o de criar espaço e condições para que se desenvolva, em perfeita sintonia com a fecunda doutrina contida nas duas citadas Instruções, uma reflexão teológica plenamente aderente ao constante ensinamento da Igreja em matéria social e, ao mesmo tempo, apta a inspirar uma práxis eficaz em favor da justiça social e da equidade, da salvaguarda dos direitos humanos, da construção de uma sociedade humana baseada na fraternidade e na concórdia, na verdade e na caridade. Deste modo se poderia romper a pretensa fatalidade dos sistemas – incapazes, um e outro de assegurar a libertação trazida por Jesus Cristo – o capitalismo desenfreado e o coletivismo ou capitalismo de Estado . Tal papel, se cumprido, será certamente um serviço que a Igreja pode prestar ao País e ao quase Continente latino-americano, como também a muitas outras regiões do mundo onde os mesmos desafios se apresentam com análoga gravidade.
Para cumprir esse papel é insubstituível a ação sábia e corajosa dos pastores, isto é, dos Senhores. Deus os ajude a velar incessantemente para que aquela correta e necessária teologia da libertação se desenvolva no Brasil e na América Latina, de modo homogéneo e não heterogéneo com relação à teologia de todos os tempos, em plena fidelidade à doutrina da Igreja, atenta a um amor preferencial não excludente nem exclusivo para com os pobres.

FONTE:
http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/letters/1986/documents/hf_jp-ii_let_19860409_conf-episcopale-brasile_po.html