Diácono Caio : "A minha vida é a manisfestação da misericórdia !"

Grande testemunho de um amigo e irmão em Cristo: Diácono Caio César (Igreja Católica Sirian Ortodoxa no Brasil) na Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus em Aparecida de Goiânia /Go. Assistam!!!

É na Cruz de Cristo que o fiel encontra o Amor! (Diácono Caio)

Jesus Messias e Sacerdote para sempre!

Toda a missão de Jesus e o conteúdo da sua mensagem se resume em proclamar o Reino de Deus e praticá-lo no meio dos homens com sinais e maravilhas. “Mas – como lembra o Concílio Vaticano II – primeiro o Reino se manifesta na mesma pessoa de Cristo” (Constituição dogmática Lumen gentium, 5.), que o estabeleceu através da sua morte na cruz e da sua ressurreição, com a qual se manifestou como Senhor e Messias e Sacerdote para sempre.São Cirilo de Jerusalém afirma: “Nós proclamamos não apenas a primeira vinda de Cristo, mas também uma segunda muito mais bonita que a primeira. A primeira, na verdade, foi uma manifestação de sofrimento, a segunda traz o diadema da realeza divina; … na primeira foi submetido à humilhação da cruz, na segunda é rodeado e glorificado por uma multidão de anjos” (Catequese XV, 1 Illuminandorum, De secundo Christi adventu: PG 33, 869 A). (Bento XVI – Papa).

Fonte: Zenit

O Rosto de Deus: nossa salvação!

O salmista dá início ao salmo 66 fazendo um pedido a Deus: “faça resplandecer sobre nós a luz da sua face”. Ele acredita que vendo o “Rosto de Deus”, qualquer indivíduo e nação conseguirão vivenciar os bons caminhos, iniciando-os na conversão e resultando na salvação. Salvação essa que ocorrerá diariamente e não em um “toque de mágica”. Também resultando no: louvor, alegria e exultação daqueles que se iniciam em tal caminho: salvação. Por fim, o salmista tem consciência que a salvação do ser humano não ocorrerá apenas com esforço próprio, mas também, com a benção de Deus: “sim que Deus nos abençoe”.
Por: Venerio – 26/11/2012.

Psicanalista retrata ‘mulheres mal-amadas em best-seller

A psicanalista venezuelana Mariela Michelena tratou muitas mulheres “estupendas”, que viravam “menininhas doentes” quando o jogo era o “bem-me-quer, mal-me-quer”, como diz. “O que vemos agora é este drama: mulheres que alcançaram alto nível de vida e cultura e chegam à consulta porque um homem a deixou, levam anos esperando um compromisso ou sofrem porque ele prometeu largar a mulher e não largou.” Leia + acerca da característica da mal – amada (clique aqui)

Por mais avançadas que sejamos, a maternidade continua importante. Queremos um homem que cuide de nós e que seja capaz de se comprometer. Mas queremos isso conscientemente.

  Características da mal – amada
É fiel
Ela se prende totalmente a relacionamentos furtivos, clandestinos
Pratica “amor de mãe”
Trata o homem como um bebê. Suporta seus bocejos, indiferença e acessos de cólera com estoicismo maternal. Vira mal- amada quando basta um simples sorriso dele para que ela dê um conflito por resolvido e o encha de beijos e perdões
 
Pecados da mal- amada
(podem aparecer sozinhos ou combinados)
Submissão
Ela se dilui no outro, perde os limites
Intermitência
Vive entre “on & off”, termina e começa um caso várias vezes, na esperança de que a volta seja definitiva
Vício
Apesar dos sucessivos desastres, sempre volta em busca da sua dose de maus-tratos
Dissimulação
É tipo cinderela: ao lado do parceiro, perde a identidade, não pode ser que é.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br

Selo Dominus Vobiscum 2012 para blogueiros católicos

É com alegria que abrimos mais uma edição do Selo Dominus Vobiscum, edição 2012. Todos os anos, no período de novembro e dezembro, o blog promove este selo para incentivar os blogueiros e internautas católicos que dia a pós dia seguem evangelizando a blogosfera, com um conteúdo evangelizador. Este ano o selo será especial, pois terá como tema O Ano da Fé. Sabemos que esta tarefa não é fácil e muitas vezes não reconhecida, e por isso queremos incentivar você. É a nossa forma de dizer muito obrigado pelo seu trabalho. Esta já é a 5ª edição do selo e alguns blogueiros católicos já estavam me cobrando o selo deste ano.  Para ganhar o selo Dominus Vobiscum 2012 é necessário  (Clique Aqui para saber +)

preencher os seguintes requisitos: 1. O blog deve ter 100% do seu conteúdo católico e apresentar em seus posts os valores da nossa fé e que não contradigam nada da doutrina católica. Obs.: Preenchendo este primeiro requisito, o seu blog já fica habilitado para ganhar o selo verde. 2. Caso o blog apresente uma frequência mínima de 10 posts por mês, ele se habilita a ganhar o selo azul, que é o selo que premia o blogueiro fiel! Obs.: Caso seu blog não tenha mais de um ano de vida, fica valendo a data da sua fundação. Por exemplo, se seu blog foi criado em fevereiro de 2012 e desde então ele tiver o mínimo de 10 postagens por mês ele também leva o selo azul! Este selo não é apenas para blogs e sites de catequese. Mas para qualquer um que apresente em seu conteúdo valores católicos. Para participar, deixe um comentário aqui com o link do seu blog, pois nós iremos visitá-lo! Deus abençoe seu trabalho de evangelizador!

Fonte: http://domvob.wordpress.com   *** Dominus Vobiscum  ***

Fim de um mundo

A proximidade do final do ano leva as tradições espirituais a pensar no que seria a meta da história, o fim para o qual vivemos e lutamos. No tempo antigo, essa idéia tomava a imagem de “fim do mundo”. Vários mitos falam sobre isso. Alguns prevêem um dilúvio que inunda tudo. Outras imaginam que a terra se acabará pelo fogo. A própria Bíblia, inserida na antiga cultura judaica, não escapa desse assunto. No Antigo Testamento, os profetas denominam o “dia do Senhor” o tempo do julgamento final e de um acerto divino sobre a história. Conforme os evangelhos, Jesus tomou esse tema para um de seus discursos (Mt 24, Mc 13, Lc 21). As Igrejas antigas lêem esses trechos do evangelho no começo do “tempo do Advento”, as quatro semanas que antecedem o Natal. Lidos ao pé da letra, esses textos provocam medo e contêm uma ameaça. Há quem interprete as guerras e desastres ecológicos atuais como se tivessem sido previstos na  …………………

Bíblia. Se tudo está determinado, não há como se defender. Ao contrário, muitos crentes e não crentes sabem que a história tem sua autonomia. A presença divina não é para destruir e sim para renovar. Com seu senso de humor, Vinícius de Moraes dizia em uma de suas canções: “Se é para desfazer, por que é que fez?”. Se, por acaso, Deus nos livre, o mundo vier a sofrer um cataclisma e se acabar, isso acontecerá não por decisão divina e sim por culpa do ser humano que fabrica artefatos nucleares capazes de destruir a humanidade e todo o planeta. A destruição do mundo não é projeto de Deus e não foi isso que as profecias anunciavam. Jesus nunca falou do fim do mundo e sim de um mundo. Ele profetizou não o fim do planeta terra e sim de um tipo de sociedade dominante e decadente que tinha mesmo ser vencida. Para quem, naquela sociedade, era oprimido, o anúncio da destruição daquela velha ordem e a instauração de uma nova realidade mais justa e amorosa só podia ser uma boa notícia. Era um verdadeiro evangelho. Por isso, conforme Lucas, Jesus conclui o anúncio do fim daquele mundo dizendo: “Quando essas coisas começarem a acontecer, levantem-se, ergam a cabeça e se alegrem, porque é a libertação de vocês que se aproxima” (Lc 21, 28).  Os evangelhos usam as mudanças cósmicas como símbolos de transformações sociais. Dizem que o sol perderá seu brilho, se fará noite em pleno dia, a terra tremerá e haverá uma convulsão planetária. Tudo isso para significar que haverá uma mudança profunda. Conforme os mesmos textos, isso aconteceu na tarde em que Jesus morreu na cruz. Ao entregar sua vida, Jesus pôs fim a um mundo antigo e inaugurou um mundo novo. A renovação de toda a criação começou ali. Ainda não é a instauração definitiva do projeto divino no mundo. Podemos crer que essa mudança será inexorável, ainda que atualmente seja imperceptível. O amor divino inspira, mas não realizará essa transformação estrutural do mundo e da sociedade sem ser através de nós e de nossa ação solidária e unida. Por isso, Paulo escreveu aos cristãos de Roma: “Não se conformem com este mundo. Cuidem de se transformar pela renovação de suas mentes para discernir qual é a vontade divina, o que é bom, agradável e perfeito” (Rm 12, 2). Essa nossa transformação interior é como semente e base da transformação do mundo.

Por: Marcelo Barros é Monge Beneditino e Escritor